A secretaria Municipal de Saúde de Águas Lindas de Goiás, através da Diretoria de Vigilância em Saúde e Coordenação de Endemias promoveu nesta quinta-feira uma reunião, com os secretários de Educação, Obras e Transportes, Meio Ambiente,  para definir as últimas estratégias  que serão aplicadas durante os trabalhos  de Manejo  Ambiental que terão inicio no dia 30 de setembro. O Bairro Santa Lúcia receberá a primeira ação educativa e de limpeza pública.

O Manejo visa a prevenção da manifestação do mosquito transmissor da dengue com as ações educativas e recolhimento de lixos nos locais mais críticos, os quais se constituem em potencial  foco do mosquito e de degradação ambiental, afetando a qualidade de vida da população, principalmente no período de chuva. Os locais foram previamente identificados.

“A dengue constitui-se  em um  sério problema de saúde pública e aqui em Águas Lindas de Goiás estamos enfrentando essa problemática desde o início das chuvas. Ainda temos uma quantidade significativa de terrenos baldios, onde é encontrada uma grande quantidade de lixo, ou seja, resíduos sólidos que, certamente se tornam ou se tornarão criadouros para o principal transmissor da Dengue, o Aedes Aegypti”, declara o secretário de saúde Doutor Willem.

Para o diretor de Vigilância em Saúde da SMS  Euder  Vieira  “a falta de cuidados com o lixo propicia a existência de criadouros de vetores transmissores de doença, representando uma constante ameaça à saúde em todos os seus aspectos”, completou.

“Diante de um aumento significativo nos casos de dengue do dia 01 de Janeiro até 22 de Agosto de 2013, (Total de Notificações: 5.386; Total de Casos Positivos: 442; Total de Casos Negativos: 912) pretende-se propiciar conhecimento aos alunos proporcionando-os as condições de agentes transformadores nas mudanças de hábitos e atitudes. Buscar uma melhor qualidade do ambiente e de saúde para a comunidade”, ressaltou Lourisvan Martins, coordenador de endemias.

CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO

A implantação do projeto será realizada a partir do dia 30 de setembro de 2013 e sua execução deverá ser rigorosamente contínua, tendo como base as seguintes macro atividades:

·         Formação de equipes para a atuação direta junto à comunidade dessas escolas, para abordagem, divulgação e orientação aos moradores.

·         Distribuição de folders educativos e sacos de lixo, para estimular o morador a recolher possíveis criadouros para o Aedes Aegypti, que estejam indevidamente espalhados em seu quintal.

·         Retirada desses sacos de lixo recolhidos pelo morador e agente de saúde de forma imediata por um caminhão basculante, que esteja diretamente envolvido nessa ação.

·         Acompanhamento das ações realizadas, isto é, controle de qualidade do serviço prestado a população, bem como o modo em que o cidadão se submete a esse serviço, criando mudanças em seu meio de viver.

·         Limpeza dos locais totalmente tomados por lixões, com pás mecânicas e caminhões basculantes com o auxilio de um agente de combate às endemias e servidores da secretaria de obras.

·         Instalação de placas educativas após a limpeza desses locais.

Há no quadro da Coordenação de Endemias 54 Agentes de Combate às Endemias atuando nas atividades de campo, porém, vale salientar que apenas 1/3 um terço desses agentes serão envolvidos nessas ações de manejo ambiental, isto é, serão designados os agentes próximos a essas respectivas áreas.